RECONSTRUÇÃO DO NARIZ LESADO POR COCAÍNA
 
Índice
Introdução | Metodologia | Resultados | Conclusão | Bibliografia
 
Autor
André Vargas
 
Instituição
Serviço de Cirurgia Plástica do Professor Ivo Pitanguy
 
Endereço para correspondência
RUA DJALMA URICH 370 APTO 604
Telefone: (11) 3826-1499
E-mail: congresso@cirurgiaplastica.org.br
 
Co-autores
Ivo Pitanguy
Natale Ferreira Gontijo de Amorim Cirurgiã Plástica pós-graduado pelo Curso de Pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO). Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica . Membro Fundador da Sociedade Brasileira de Queimadura e da Regional RN. Médica-Assistente da Clínica Ivo Pitanguy.
 
Descritores
nariz
 
Introdução
A inalação de cristais de cocaína na cavidade nasal causa constrição dos vasos do forro nasal. Se a constrição for estimulada de maneira persistente, a mucosa é destruída, ocorrendo exposição da cartilagem septal, a qual sofre necrose e perfuração. A perda da sustentação do septo nasal promove alteração do contorno nasal com deformidade do dorso e queda da ponta nasal. Essa é uma patologia complexa e de tratamento desafiador, uma vez que o tratamento cirúrgico é difícil e o paciente, muitas vezes, retorna ao vício.
Topo
Metodologia
Revisão das principais técnicas descritas na literatura foi realizada através da Med Line com os unitermos: cocaine, damage, nasal reconstruction. Vinte casos de reconstrução do nariz lesado por cocaína foram analisados, todos pacientes operados no Serviço do Professor Ivo Pitanguy, no período de 1980 a 2005.
Topo
Resultados
Na literatura são descritos retalhos locais para cobrir deformidades do forro nasal. O retalho naso-geneano bilateral rotado em direção ao vestíbulo nasal promove sustentação e permite a inclusão de enxerto cartilaginoso em outro tempo cirúrgico. Enxertos locais de mucosa com pericôndrio e enxertos com mucosa oral também são opções citadas. O uso de cartilagem auricular e de enxertos osteocartilaginosos de segmento costal são citados para correção de defeitos septais maiores. A utilização de materiais aloplásticos, como o polietileno poroso de alta densidade, é citada como uma opção para correção do contorno do dorso e do colapso valvular. Em nosso serviço, utilizamos enxerto de cartilagem auricular para corrigir deformidades do dorso e da ponta. O defeito septal (pertuito) não é tratado, uma vez que o paciente não apresenta essa queixa específica e, muitas vezes, retorna ao vício. O uso do enxerto colocado cranialmente ao defeito septal (acima do pertuito do septo) permite corrigir o contorno do dorso e melhorar a projeção da ponta nasal.
 
Figura 1: Defeito septal (marcado com linha pontilhada) e enxerto cartilaginoso a ser posicionado acima do pertuito septal para correção do contorno do dorso nasal.
 
Figura 2: Paciente feminina com deformidade de contorno do dorso nasal – pré-operatório.
 
Figura 3: Paciente feminina com contorno do dorso nasal corrigido – pós-operatório
 
Figura 4: Paciente masculino com deformidade de contorno do dorso nasal – pré-operatório.
 
Figura 5: Paciente masculino com contorno do dorso nasal corrigido – pós-operatório.
 
Topo
Conclusão
Através de procedimento mais simples que os citados na literatura, usando apenas enxerto para corrigir o dorso nasal, é possível atender às queixas do paciente e preservar as estruturas adjacentes.
Topo
Bibliografia
1. Millard DR, Mejia AF. Reconstruction of the Nose Damaged by Cocaine. Plast Reconstr Surg 107:419, 2001.
2. Ramirez-Camacho RA, Lopez-Cortijo C, Mata N. Chondro-perichondral-mucosal flaps for the closure of septal perforations. Acta Otorrinolaringol Esp 44(5):359-61,1993.
3. Meyer R. Nasal septal perforations must and can be closed. Aesthetic Plast Surg 18(4):345-55, 1994.
4. Daniel RK. Rhinoplasty and Rib Grafts: Evolving a flexible operative technique. Plast Recosntr Surg 94: 597, 1994.
5. Romo T, Sclafani AP, Sabini P. Use of Porous High-Density Polyethylene in Revision Rhinoplasty and in the Platyrrhine Nose. Aesth Plast Surg 22:211-221, 1998.
Topo