REJUVENESCIMENTO FACIAL MASCULINO
 
Índice
Introdução | Técnica Cirurgica | Conclusão | Figuras
 
Autor
Domingos Quintella De Paola
 
Instituição
Centro de Cirurgia Plástica e Reabilitação, R.J
 
Endereço para correspondência
Rua Siqueira Campos 93 / 605 – Copacabana - Rio de Janeiro - R.J. - 22031-070
Telefone: (11) 38261499
E-mail: congresso@cirurgiaplastica.org.br
 
Co-autores
Cláudio Matsumoto
Ozinaldo Régis Montenegro
 
Descritores
rejuvenecimento, face
 
Introdução
A moderna Cirurgia Plástica voltada para o homem é hoje um capítulo à parte no universo da cirurgia estética, pois apresenta detalhes técnicos específicos e expectativas de resultados diferenciados do lifting feminino. É uma exigência do homem uma recuperação pós-operatória rápida, uma cirurgia sem estigmas e com aspecto natural uma vez que o homem não deseja mudanças drásticas na sua aparência. Então é adequado à este público diferenciado procedimentos menores, com baixa complexidade e rápida recuperação, como a associação da bioplastia e do “Curl” lifting otimizando o resultado do lifting cervico-facial masculino.
Topo
Técnica Cirurgica
O processo de envelhecimento facial se inicia pela a presença das bolsas palpebrais, menor evidência dos malares e quebra de continuidade da linha mandibular, causada pela flacidez do sistema músculo-aponeurótico superficial, o SMAS-Platisma, tornando o rosto “quadrado”. Assim sendo, o objetivo de nossa cirurgia será sempre tentar devolver o aspecto triangular a esta face que se tornou quadrada pela ação do tempo. O aspecto triangular da face dá o aspecto de juventude.
Baseado nestas premissas utilizamos nos últimos 6 anos, e em mais de 800 pacientes, uma associação de procedimentos simplificados visando basicamente o retorno dos tecidos a seus locais de origem e dos ângulos faciais, além do rápido retorno do paciente à sua vida laborativa. De acordo com o caso utilizamos apenas o preenchimento facial com PMMA (polimetilmetacrilato) na região malar, ponta nasal, mento ou linha da mandíbula, sempre profundo, junto ao periósteo, no intuito de refazer as angulações faciais. Este procedimento pode ser associado ou não a fios de sustentação de polipropileno para elevação dos supercílios (“curl” lifting), cuja queda é um importante estigma de envelhecimento. Entretanto quando a “quebra” da linha da mandíbula se torna mais evidente já haverá indicação para o que chamamos de lifting facial simplificado, associado ou não a estes outros procedimentos.
Fazemos todos os procedimentos, sob sedação oral com Midazolan 15 mg e anestesia local infiltrativa e tumescente. No nosso entender a tumescência facilita a hemostasia e o descolamento além de evitar que haja tração exagerada dos retalhos o que daria uma aparência pouco natural ao lifting.
Nossa incisão cutânea se inicia na região temporal, pré-capilar, na altura do final da “costeleta”. Nesta região o vetor de tração do retalho é superior com a retirada de um triângulo isósceles de 2,0 a 2,5 cm de base. Descendo, utilizamos incisão pré-tragal, estendendo-se para a região retro-auricular em “U” invertido e em ziguezague pré-capilar. Esta incisão possibilita uma maior retirada de pele, mantendo a linha de implantação do cabelo intacta. Após o descolamento subcutâneo iniciamos a plicatura do SMAS na região do lobo da orelha, descemos para o pescoço, onde a plicatura é feita na altura da borda anterior do músculo esternocleido-mastoideo e depois subimos em direção ao canto externo do olho.
Topo
Conclusão
A associação destas técnicas de baixíssima morbidade e rápida recuperação mostrou-se tão eficiente, no que tange a resultados, quanto a técnica convencional de lifting facial com grandes descolamentos e ressecção do SMAS, com a vantagem de obter resultados mais naturais além de, que pela total ausência de equimoses e mínimo edema pós-operatório, rapidamente colocar o paciente de volta a sua vida social e laborativa.
Topo
Figuras

 
Figura 01
 
Figura 02
 
Figura 03
 
Figura 04
 
Figura 05
 
Figura 06
 
Topo